À medida que os data centers estão crescendo rapidamente suas estruturas, fortalecidos por um cenário onde o tratamento e análise do Big Data e a tecnologia de computação em nuvem são cada vez mais uma realidade no mundo corporativo, tornar este data center automatizado é algo que vem ganhando cada vez mais importância.

Essa automação do data center tem sido abordada há algum tempo, como neste artigo de agosto de 2012 na ZD Net, onde é citada a opinião de Frank Frankovsky, que na época atuava como no Facebook como VP de Hardware Design & Supply Chain, onde ele reforça bastante a ideia de data centers onde não seja necessária a presença humana.

Um artigo bastante comentado na web foi publicado no site Data Center Knowledge, onde aparece uma foto de um robô fazendo a troca de unidades de armazenamento.

No artigo, Bill Kleyman, profissional com grande experiência em design, gerenciamento e implementação de data centers, usa a expressão “Robot-Driven Data Center” e diz que a questão não é mais saber se o data center automatizado de forma completa será uma realidade, mas sim de quando isto vai acontecer.

O conceituado blog GigaOM, um dos que citou o artigo de Kleyman, assinala que ao utilizar robôs, o data center automatizado poderá crescer no sentido vertical, o que permitirá um uso melhor do espaço disponível para sua construção.

No InfoWorld, recentemente, Paul Venezia escreve um post onde chama a atenção para o fato de que se o data center automatizado pode significar uma grande satisfação para os administradores, é preciso redobrar a atenção para possíveis desastres.

Na CIO Brasil, André Facciolli, diretor da NetBR, que atua em projetos de infraestrutura, diz em um post que algumas empresas já utiizam androides para resolver problemas do dia a dia, e que o uso de robês em um data center automatizado é uma tendência irrefutável.